perfil
Bené Chaves <>, natalense, é escritor-poeta e crítico de cinema.
Livros Publicados:
a explovisão (contos, 1979)
castelos de areiamar (contos, 1984)
o que aconteceu em gupiara (romance, 1986)
o menino de sangue azul (novela, 1997)
a mágica ilusão (romance, 2001)
cinzas ao amanhecer (poesia, 2003)
Sonhadores

Você é nosso visitante de número


Obrigado pela visita!

links

a filha de maria nowacki
agreste
arabella
ariane
balaiovermelho
blog da tuca
clareando idéias
colcha de retalhos
dora
entre nós e laços
faca de fogo
janelas abertas
lá vou eu
letras e tempestades
litera
loba, corpus et anima
maria
mudança de ventos
notícias da terrinha
o centenário
pensamentos de laura
ponto gê
pra você que gosta de poesia
proseando com mariza
rua ramalhete
sensível diferença
su
tábua de marés
umbigo do sonho
voando pelo céu da boca

zumbi escutando blues

sonhos passados
Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008
créditos

imagem: Walker
template by mariza lourenço

Powered by MiDNET
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

 

 

 



terça-feira, dezembro 30, 2008

OS FILMES QUE VI E REVI EM 2008 Cena de 'Desencanto', de David Lean


Pareceu-me que 2008 foi o ano das revisões. E dentre elas revi filmes que continuam importantes no nosso modesto conceito cinematográfico. É o caso de, por exemplo, Desencanto (Lean, 45), Os incompreendidos(Truffaut, 59), Rastros de ódio(Ford, 56), A Aventura(Antonioni, 59), O processo(Welles, 62), O poderoso chefão II(Coppola, 74), Veludo azul (Lynch, 86), Depois do vendaval(Ford, 52), Doze homens e uma sentença(Lumet, 57), Contos da lua vaga(Mizoguchi, 53), O Homem errado(Hitchcock, 56) De punhos cerrados(Bellocchio, 65), O Criado(Losey, 63) e O evangelho segundo São Mateus (Pasolini, 64). Fitas que não envelheceram e algumas até cresceram aos nossos olhos.

Cena de 'Arca Russa', de Sokurov Mas, entre as minhas estréias, vi dois filmes que não gostei: o primeiro foi Saló(Pasolini, 75), apenas uma espécie de ritual de sadismo e bizarrice, sem nenhum (ou quase) acréscimo à arte cinematográfica. E o segundo foi Andrei Rublev(Tarkovski, 66), que, apesar de uma bonita fotografia(em preto-e-branco) e de imagens/afrescos finais (em cores), não me entusiasmou. Em uma primeira visão achei uma longa e enfadonha biografia de um monge russo do século XV.
E os melhores vistos no ano que findou? Destaco primeiramente dois filmes do Aleksandr Sokurov: Arca Russa(2002) e Mãe e Filho(1997). Duas verdadeiras obras de arte.
Depois poderia citar Pai e Filha (Ozu, 49), O desespero de Veronika Voss (Fassbinder, 81), A roda da fortuna(Minnelli,53), Nossa música(Godard, 2004), Falstaff (Welles, 65), Europa (Von Trier, 91), O céu de Suely(Karim Ainouz, 2006), Medos privados em lugares públicos( Resnais, 2006), Playtime(Tati,67) Depois do ensaio(Bergman, 84), Jogo de cena(Eduardo Coutinho, 2007), Caché (Haneke, 2005), Close-Up(Kiarostami,89) e Conspiração do silêncio(Sturges,54).


AMIGAS E AMIGOS


Encerro (por tempo indeterminado) as atividades deste blogue. Pois é, não deu mais pra continuar. Agradeço aos que estiveram comigo nestes mais de 4 anos. E principalmente aos que comentaram algo acerca dos textos aqui elaborados. Então, até qualquer outra oportunidade.
Um Feliz 2009 para todos!

Um beijo (nas amigas) e um abraço(nos amigos)...

Bené Chaves

por benechaves às 10:26