perfil
Bené Chaves <>, natalense, é escritor-poeta e crítico de cinema.
Livros Publicados:
a explovisão (contos, 1979)
castelos de areiamar (contos, 1984)
o que aconteceu em gupiara (romance, 1986)
o menino de sangue azul (novela, 1997)
a mágica ilusão (romance, 2001)
cinzas ao amanhecer (poesia, 2003)
Sonhadores

Você é nosso visitante de número


Obrigado pela visita!

links

a filha de maria nowacki
agreste
arabella
ariane
balaiovermelho
blog da tuca
clareando idéias
colcha de retalhos
dora
entre nós e laços
faca de fogo
janelas abertas
lá vou eu
letras e tempestades
litera
loba, corpus et anima
maria
mudança de ventos
notícias da terrinha
o centenário
pensamentos de laura
ponto gê
pra você que gosta de poesia
proseando com mariza
rua ramalhete
sensível diferença
su
tábua de marés
umbigo do sonho
voando pelo céu da boca

zumbi escutando blues

sonhos passados
Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008
créditos

imagem: Walker
template by mariza lourenço

Powered by MiDNET
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

 

 

 



terça-feira, agosto 05, 2008

VERSOS QUE CANTAM E ENCANTAM (35) De Monsueto e Airton Amorim:


Se você não me queria

Não devia me procurar
Não devia me iludir
Nem deixar eu me apaixonar
Evitar a dor
É impossível

Evitar este amor
É muito mais

Você arruinou a minha vida(Ora vai mulher)
Me deixa em paz.

Obs: Versos da música 'Me deixa em paz'(1951), que fez enorme sucesso na voz de Linda Batista no carnaval de 1952. Monsueto Campos Menezes era também cantor, pintor, instrumentista e ator, nascido no Rio de Janeiro em 4 de novembro de 1924. Como baterista, na década de 40, iniciou carreira tocando em vários conjuntos. Sua primeira composição gravada foi justamente 'Me deixa em paz'. Também deixou outras de valores incontestáveis como 'A fonte secou', sucesso no carnaval de 1954 e 'Mora na filosofia', de 1955 e em parceria com Arnaldo Passos. Participou do programa 'Noites Cariocas', de vários filmes e shows musicais no teatro e televisão. Faleceu em 17 de fevereiro de 1973 no Rio de Janeiro.

Airton Amorim de Macedo é de Maceió(AL) e nasceu em 8 de setembro de 1921. Chegou ao Rio de Janeiro com 6 anos e tornou-se bibliotecário na pós-adolescência. Em 1951, com Jorge Tavares, gravou 'Muié Bandoleira', sua primeira composição. E fez sucesso no mesmo ano com o samba carnavalesco 'Madalena', em parceria com Ari Macedo. Mas brilhou mesmo foi com a marcha de 1955 'Tem nego bebo aí ', feita com Mirabeau Pinheiro e gravada pela Carmen Costa.

Cito aqui também, do Monsueto, os versos finais da bonita música 'Mora na Filosofia':

Se seu corpo ficasse marcado
por lábios ou mãos carinhosas
eu saberia (ora vá mulher)...
a quantos você pertencia.
Não vou me preocupar em ver
seu caso não é de ver prá crer: tá na cara...

ESPAÇO LIVRE

PERPLEXIDADE

Quero ver-te com belas roupas!
E te rasgar com sofreguidão.

Na interrogação
de teu olhar.

Na exclamação
de meu desejo.

Na vírgula de suas
inquietudes.

Na reticência de minhas
volatilidades.

E no ponto final
de nossas dúvidas.




Bené Chaves

por benechaves às 18:50