perfil
Bené Chaves <>, natalense, é escritor-poeta e crítico de cinema.
Livros Publicados:
a explovisão (contos, 1979)
castelos de areiamar (contos, 1984)
o que aconteceu em gupiara (romance, 1986)
o menino de sangue azul (novela, 1997)
a mágica ilusão (romance, 2001)
cinzas ao amanhecer (poesia, 2003)
Sonhadores

Você é nosso visitante de número


Obrigado pela visita!

links

a filha de maria nowacki
agreste
arabella
ariane
balaiovermelho
blog da tuca
clareando idéias
colcha de retalhos
dora
entre nós e laços
faca de fogo
janelas abertas
lá vou eu
letras e tempestades
litera
loba, corpus et anima
maria
mudança de ventos
notícias da terrinha
o centenário
pensamentos de laura
ponto gê
pra você que gosta de poesia
proseando com mariza
rua ramalhete
sensível diferença
su
tábua de marés
umbigo do sonho
voando pelo céu da boca

zumbi escutando blues

sonhos passados
Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008
créditos

imagem: Walker
template by mariza lourenço

Powered by MiDNET
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

 

 

 



terça-feira, julho 08, 2008




VERSOS QUE CANTAM E ENCANTAM (33)


De Vicente Paiva:


Vem de uma remota batucada
Uma cadência bem marcada
Que uma baiana tem no andar
E nos seus requebros e maneiras
Na graça toda das palmeiras
Esguias e altaneiras a balançar
São da cor do mar, da cor da mata
Os olhos verdes da mulata
Tão cismadores, fatais, fatais
E no beijo ardente e perfumado
Conserva o travo do pecado
Dos saborosos cambucás.

Obs: Versos da música 'Olhos Verdes'(1950), do compositor acima. Vicente Paiva Ribeiro também era cantor e arranjador, nascido na cidade de São Paulo no dia 18 de abril de 1908. Em 1926 começou sua carreira como pianista em Santos e logo seguiu para o Rio de Janeiro. Gravando os sambas 'Beijar não é pecado'(Oscar Cardona), na Victor, 'Mulher'(Pascoal Barros), e o samba-canção 'Machuca'(Donga/De Chocolat), estreou como cantor em 1929.
Compôs, com Nelson Barbosa, em 1935, a famosa 'Marcha do cordão da Bola Preta', conhecida como 'Segura a chupeta', relançada para o carnaval de 1962 com gravação da Carmen Costa. Em 1937, também no carnaval, fez grande sucesso com a marcha 'Mamãe eu quero', uma das músicas carnavalescas mais conhecidas de todos os tempos, que ele gravou com seu parceiro Jararaca.
De 1945 a 1952 foi diretor musical e regente da orquestra da Companhia de Revistas de Walter Pinto, uma das mais solicitadas no Rio de Janeiro, principalmente, no carnaval. E em 1951 a Dalva de Oliveira gravou 'Ave Maria'(com Jaime Redondo), com enorme sucesso. Aliás, o samba 'Olhos Verdes' também foi gravado pela Dalva no mesmo ano.
Vicente Paiva faleceu no Rio de Janeiro/RJ em 18 de fevereiro de 1964.
Realço aqui alguns belos versos de 'Ave Maria'(1951):

Abençoai estas terras morenas

Em seus rios, seus campos

E as noites serenas,

Abençoai as cascatas

E as borboletas que enfeitam as matas.


ESPAÇO LIVRE

O poema abaixo faz parte do livro 'Cinzas ao amanhecer' (Sebo Vermelho, 2003). Já foi publicado aqui no início de 2005. Espero que todos tenham uma boa leitura. Ou releitura.
MARTÍRIO

A vida nos faz órfãos
não da ausência de pais
mas da presença e ainda
temporalidade existencial.

Ela arrebenta o ser
que temos em nós.

E triunfal segue
aniquilando-nos.


Bené Chaves

por benechaves às 20:50