perfil
Bené Chaves <>, natalense, é escritor-poeta e crítico de cinema.
Livros Publicados:
a explovisão (contos, 1979)
castelos de areiamar (contos, 1984)
o que aconteceu em gupiara (romance, 1986)
o menino de sangue azul (novela, 1997)
a mágica ilusão (romance, 2001)
cinzas ao amanhecer (poesia, 2003)
Sonhadores

Você é nosso visitante de número


Obrigado pela visita!

links

a filha de maria nowacki
agreste
arabella
ariane
balaiovermelho
blog da tuca
clareando idéias
colcha de retalhos
dora
entre nós e laços
faca de fogo
janelas abertas
lá vou eu
letras e tempestades
litera
loba, corpus et anima
maria
mudança de ventos
notícias da terrinha
o centenário
pensamentos de laura
ponto gê
pra você que gosta de poesia
proseando com mariza
rua ramalhete
sensível diferença
su
tábua de marés
umbigo do sonho
voando pelo céu da boca

zumbi escutando blues

sonhos passados
Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008
créditos

imagem: Walker
template by mariza lourenço

Powered by MiDNET
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

 

 

 



quarta-feira, fevereiro 13, 2008


(O selo ao lado me foi concedido pelo amigo Marco Santos do blogue 'Antigas Ternuras').




VERSOS QUE CANTAM E ENCANTAM(23)

De Aldo Cabral e Cícero Nunes:


Quando o carteiro chegou

E o meu nome gritou

Com uma carta na mão

Ante surpresa tão rude

Nem sei como pude chegar ao portão

Lendo o envelope bonito

No seu sobrescrito eu reconheci

A mesma caligrafia

Que me disse um dia

Estou farto de ti

Porém não tive a coragem

De abrir a mensagem

Porque na incerteza

Eu meditava e dizia

Será de alegria

Ou será de tristeza

Quanta verdade tristonha

A mentira risonha

Que uma carta nos traz

E assim pensando rasguei

Tua carta e queimei

Para não sofrer mais




Obs: Versos da música 'Mensagem'(1945), gravada pela Isaurinha Garcia em 1946 e tornando-se um dos maiores sucessos da cantora. Antonio de Guimarães Cabral, o autor Aldo Cabral, era também teatrólogo, nascido no bairro de Santo Cristo, RJ, em 3 de fevereiro de 1912. Começou a sua carreira com uma valsa ('Boneca', gravada em 1935 por Sílvio Caldas), melodia de Benedito Lacerda, seu maior parceiro. Cabral era, portanto, um dos melhores letristas da época. E em 1937 lançou o sucesso 'Amigo Leal ', samba, na voz de Orlando Silva e cuja continuação, 'Amigo Infiel' foi gravada pelo mesmo autor no ano seguinte. Morreu em 5 de junho de 1994.
O parceiro Cícero Nunes Cordeiro era também instrumentista. Aos 14 anos conseguiu um emprego para ajudar sua família, sendo operário em várias fábricas. Fez amizade, então, com um dos rapazes que tocava violão e começou a aprender e também a apreender. E compôs, a partir de 1937, principalmente sambas-choro, onde obteve o desejado sucesso. Aderiu ao samba-canção em 1944 e conseguiu melhores êxitos com 'Aquela Mulher', lançado por Nelson Gonçalves, 'Apogeu'(com Herivelto Martins), gravado em 1945 pelo Francisco Alves e o samba em questão.
Cícero Nunes nasceu no Rio de Janeiro em 6 de abril de 1912(mesmo ano do parceiro) e faleceu no dia 3 de fevereiro(mesmo dia e mês também do companheiro musical). Interessante estas coincidências de datas, talvez revelando uma afinidade maior entre os dois compositores.


ESPAÇO LIVRE






DISPUTA



Na sensatez de teus atos
a insensatez dos meus.

Na agitação de meu olhar
a quietude dos teus.

E entre contatos opostos
o existir como ritual de
amores e desamores.

Em um turbilhão de laços
de uma esperança ambígua.

Bené Chaves

(Tela do pintor inglês William Blake -1757/1827)



por benechaves às 11:23