perfil
Bené Chaves <>, natalense, é escritor-poeta e crítico de cinema.
Livros Publicados:
a explovisão (contos, 1979)
castelos de areiamar (contos, 1984)
o que aconteceu em gupiara (romance, 1986)
o menino de sangue azul (novela, 1997)
a mágica ilusão (romance, 2001)
cinzas ao amanhecer (poesia, 2003)
Sonhadores

Você é nosso visitante de número


Obrigado pela visita!

links

a filha de maria nowacki
agreste
arabella
ariane
balaiovermelho
blog da tuca
clareando idéias
colcha de retalhos
dora
entre nós e laços
faca de fogo
janelas abertas
lá vou eu
letras e tempestades
litera
loba, corpus et anima
maria
mudança de ventos
notícias da terrinha
o centenário
pensamentos de laura
ponto gê
pra você que gosta de poesia
proseando com mariza
rua ramalhete
sensível diferença
su
tábua de marés
umbigo do sonho
voando pelo céu da boca

zumbi escutando blues

sonhos passados
Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008
créditos

imagem: Walker
template by mariza lourenço

Powered by MiDNET
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

 

 

 



quinta-feira, outubro 25, 2007










VERSOS QUE CANTAM E ENCANTAM (17)


De Lamartine Babo e Francisco Mattoso:



Eu sonhei que tu estavas tão linda
Numa festa de raro esplendor
Teu vestido de baile lembro ainda
Era branco, todo branco, meu amor.

*

Tomei-te aos braços, fomos bailando
Ambos silentes
E os pares que rodeavam entre nós
Diziam coisas, trocavam juras
A meia voz.

*

Olhavas só para mim
Vitórias de amor cantei
Mas tudo foi um sonho; acordei.


Obs: Alguns versos de 'Eu sonhei que tu estavas tão linda'(1942), de Lamartine Babo em parceria com Francisco Mattoso. Babo foi um compositor de grande sensibilidade e humor. Era também carnavalesco, com hinos louváveis para diversos clubes. Segundo conta o Almirante(Henrique Floréis Domingues), Francisco Mattoso mostrou a Lamartine esta música ainda sem letra. E o mesmo, então, apaixonou-se pela melodia. Convidado a terminar a obra, modificou algumas notas e compôs os versos. E a parceria se estabeleceu.
Tal música foi gravada pelo Francisco Alves em outubro de 1941, mas, infelizmente, Mattoso, que era também pianista, não chegou a conhecer o sucesso de sua melodia, pois morria jovem, acometido de tuberculose, com apenas 28 anos. Nasceu, portanto, em 8 de abril de 1913, em Petrópolis e morreu no dia 18 de dezembro de 1941, no Rio de Janeiro.
Lamartine Babo nasceu no Rio de janeiro em 1904, uns dizem que no mês de janeiro e outros afirmam que foi no dia 8 de março. Teria falecido em 16 de junho de 1963.

ESPAÇO LIVRE





CLAMOR


Quero-te amar
inexorável e
selvagemente.
E de teu ventre
fazer jorrar um
orgasmo misto de
dor e compaixão.

O grito mudo
de doar-se com
amargura.


SENTENÇA

Nos meandros do sofrimento
nas agonias do prazer
acasos e casos de rancor
a dor que dói não
é a do ódio.

É a dor do amor!


Bené Chaves








por benechaves às 21:59