perfil
Bené Chaves <>, natalense, é escritor-poeta e crítico de cinema.
Livros Publicados:
a explovisão (contos, 1979)
castelos de areiamar (contos, 1984)
o que aconteceu em gupiara (romance, 1986)
o menino de sangue azul (novela, 1997)
a mágica ilusão (romance, 2001)
cinzas ao amanhecer (poesia, 2003)
Sonhadores

Você é nosso visitante de número


Obrigado pela visita!

links

a filha de maria nowacki
agreste
arabella
ariane
balaiovermelho
blog da tuca
clareando idéias
colcha de retalhos
dora
entre nós e laços
faca de fogo
janelas abertas
lá vou eu
letras e tempestades
litera
loba, corpus et anima
maria
mudança de ventos
notícias da terrinha
o centenário
pensamentos de laura
ponto gê
pra você que gosta de poesia
proseando com mariza
rua ramalhete
sensível diferença
su
tábua de marés
umbigo do sonho
voando pelo céu da boca

zumbi escutando blues

sonhos passados
Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008
créditos

imagem: Walker
template by mariza lourenço

Powered by MiDNET
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

 

 

 



sábado, maio 05, 2007

VERSOS QUE CANTAM E ENCANTAM (5)


De Ary Barroso e Lamartine Babo:

No rancho fundo
De olhar triste e profundo
Um moreno canta as mágoas
Tendo os olhos rasos d'àgua.

*

Os arvoredos
Já não contam mais segredos
E a última palmeira
Já morreu na cordilheira.

*

Os passarinhos internaram-se nos ninhos
De tão triste essa tristeza
Enche de trevas a natureza.

*

Se uma flor desabrocha
E o sol queima
A montanha vai gelando
Lembrando o cheiro da morena.

Obs: Alguns versos da música 'No rancho fundo', de 1931, composta inicialmente com o nome de 'Na grota funda' e letra de J. Carlos para a peça 'É do balacobaco'. Na apresentação da mesma, Lamartine Babo ficou tão impressionado com a música que resolveu mudar os versos e deu o definitivo nome. Surgia, então, a parceria entre os dois compositores.
Ary Barroso era mineiro e nasceu em 07/11/1903 em Ubá, enquanto o seu mais novo companheiro nascera no Rio de Janeiro no dia 10/01/1904. Ambos faleceram na cidade maravilhosa.
Divergiam, contudo, no futebol, aonde o Lamartine Babo chegou a compor diversas músicas para os clubes cariocas. Enquanto o Ary era flamenguista doente, o Lamartine simpatizava com as cores do América.


De Noel Rosa e João de Barro (Braguinha):

A estrela Dalva
No céu desponta...
E a lua anda tonta...
Com tamanho esplendor
E as pastorinhas
Pra consolo da Lua
Vão cantando na rua
Lindos versos de amor.

*
... Tu não tem pena
de mim que vivo tanto com o seu olhar
... Meu coração não se cansa
de sempre sempre te amar.


Obs: Alguns versos da música 'As Pastorinhas', quando em uma mesa de café, no final de 1934, o então jovem Braguinha propôs ao Noel Rosa: 'Noel, vamos fazer uma música com aquele ritmo das pastorinhas que desfilam em Vila Isabel na noite de Santos Reis?'. Pediram lápis, papel e cafezinho. E em pouco mais de meia hora elaboraram 'Linda Pequena' com participação de ambos na letra e também na melodia. Depois de algumas mudanças ficou o nome de 'As Pastorinhas', que foi gravada por Sílvio Caldas no final de 1937.
É até hoje um grande sucesso de carnaval e público, bote aí mais de 70 anos nas costas.


ESPAÇO LIVRE


VERSINHOS DE AMOR

Queria amá-la
mas não posso.
Por quê?

Queria abraçá-la
porém não te vejo.
Por quê?

Queria beijá-la
mas estás ausente.
Por quê?

Queria seduzi-la
porém não sei como.
Por quê?

E, sobretudo, queria
muito possuí-la.
Por quê?

Porque aprendi a
gostar de você.

Bené Chaves

por benechaves às 09:31