perfil
Bené Chaves <>, natalense, é escritor-poeta e crítico de cinema.
Livros Publicados:
a explovisão (contos, 1979)
castelos de areiamar (contos, 1984)
o que aconteceu em gupiara (romance, 1986)
o menino de sangue azul (novela, 1997)
a mágica ilusão (romance, 2001)
cinzas ao amanhecer (poesia, 2003)
Sonhadores

Você é nosso visitante de número


Obrigado pela visita!

links

a filha de maria nowacki
agreste
arabella
ariane
balaiovermelho
blog da tuca
clareando idéias
colcha de retalhos
dora
entre nós e laços
faca de fogo
janelas abertas
lá vou eu
letras e tempestades
litera
loba, corpus et anima
maria
mudança de ventos
notícias da terrinha
o centenário
pensamentos de laura
ponto gê
pra você que gosta de poesia
proseando com mariza
rua ramalhete
sensível diferença
su
tábua de marés
umbigo do sonho
voando pelo céu da boca

zumbi escutando blues

sonhos passados
Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008
créditos

imagem: Walker
template by mariza lourenço

Powered by MiDNET
Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

 

 

 



quarta-feira, agosto 03, 2005

Amigas e amigos


Eis que estou de volta...em parte. É que já não suportava a saudade de tantos que vêm aqui e comentam sobre as postagens feitas. E também, óbvio, aos que preferem ficar no anonimato. Deixarei novo post, mas ainda não poderei agradecer aos que me visitaram (e visitam). Logo que puder farei isso, claro. E muito grato também àqueles que se lembraram do primeiro ano deste 'apanhador de sonhos'. Ele está crescendo rapidinho! E espero que todos nós cresçamos com seus modestos escritos e devaneios. Continuemos, então, com nossa pequena e paradoxalmente extensa saga autobiográfica sobre Gupiara.


OUTROS DOIS FILMES



Depois de um mês da exibição da fita com o gordo e o magro, conseguimos trazer um western que era consagrado pela crítica de um modo geral. E foi a única visão que tive de Céu Amarelo, direção do competente William A. Wellman, produção de 1948 e com Gregory Peck e Anne Baxter, ambos já falecidos. Não me lembro de quase nada (essa minha memória...), sei apenas que gostei muito daquele faroeste que tinha também no seu elenco o bom ator Richard Widmark. Vislumbro nele somente uma travessia do deserto por ladrões da região e um delirante e final ajuste de contas entre os atores principais.

Com relação às apresentações no colégio e a conseqüente afluência de pessoas ditas interessadas ou então se fazendo de tal, só não gostava, entre outras coisas, da representatividade dos padres que apareciam lá com suas batinas compridas, pretas e horrorosas, parecendo, se estivessem com um pano na cabeça, donzelas velhas, enjoadas e maldizentes. (Em louvor aos mesmos, contudo, a concordância em ceder o lugar para o evento, em parte, das projeções. Porque, inclusive, o ensino oficializado da nossa dita ou desdita História tinha e ainda tem seus deslizes e também enganos). Apesar de ser costume do período lógico que aquela indumentária merecia um melhor tratamento, pois não se admitia tamanho absurdo. Era ainda a Igreja ditando as normas conservadoras para tristeza de Gupiara e, acredito, de outras cidades.

Quase dois meses após, o pequeno auditório exibiu o melodrama mexicano Enamorada (1946) de Emilio Fernandez, cineasta de origem espanhola. A fita mostrava, durante a Revolução, um general zapatista apaixonando-se pela bela e selvagem Maria Félix, o amor aqui, sempre ele, como foco mesmo em campos de batalha. Pedro Armendariz, ator renomado do cinema mexicano de então, fazia o general irrequieto de amores nesta boa fita que dava uma nova visão do país longe daqueles padrões hollywoodianos. Acho que teve boa receptividade diante de todos que se acomodavam nas poltronas nada confortáveis do recinto colegial.

Seria, aquela, uma época, portanto, de tentativas de mudanças e não de arremedos, como, aliás, quase tudo que se queria ensaiar e pôr em prática na pequena Gupiara, a cidade de meus outroras amores, cantos e encantos. Infelizmente existiam (e ainda existem!) pessoas que viam somente trinta centímetros à frente de seus olhos, fossem eles bonitos ou feios. E nós tentávamos fazer de tudo para que tais pequenas visões não aumentassem. Tirante, óbvio, as conseqüências boas que sobejavam na ocasião. E para compensar as desfigurações ali instaladas e acomodadas, nada melhor do que fazíamos. Ou seja: entre outras atividades literárias, a aquisição daqueles bons filmes que seriam (e estavam sendo, claro) selecionados pela nossa efêmera agremiação. Apesar das dificuldades que se prenunciavam.

ESPAÇO LIVRE

O MELHOR DA MÚSICA BRASILEIRA


ALGUNS BELOS EXEMPLOS...


·
ÁGUAS DE MARÇO(TOM JOBIM)
· ANDA LUZIA(JOÃO DE BARRO)
· APESAR DE VOCÊ(CHICO B. DE HOLANDA)
· AQUARELA DO BRASIL(ARI BARROSO)
· AS ROSAS NÃO FALAM(CARTOLA)
· ASA BRANCA(LUIZ GONZAGA / H. TEIXEIRA)
. BRASILEIRINHO(WALDIR AZEVEDO)
· CARINHOSO(PIXINGUINHA)
· CHEGA DE SAUDADE(TOM JOBIM / VINICIUS DE MORAES)
· CHOVE CHUVA(JORGE BEN)
· COMO NOSSOS PAIS(ANTONIO CARLOS BELCHIOR)
· CONSTRUÇÃO(CHICO B. DE HOLANDA)
· DRÃO (GILBERTO GIL)
· DOMINGO NO PARQUE(GILBERTO GIL)
· FEITIÇO DA VILA(VADICO / NOEL ROSA)
· FOI UM RIO QUE PASSOU EM MINHA VIDA(PAULINHO DA VIOLA)
· FÉ CEGA, FACA AMOLADA (M. NASCIMENTO/RONALDO BASTOS)
· IRENE(CAETANO VELOSO)
· LAMENTOS(PIXINGUINHA)
· MANHÃ DE CARNAVAL(ANTONIO MARIA / LUIZ BONFÁ)
· MARINA(DORIVAL CAYMMI)
· MORA NA FILOSOFIA (MONSUETO E ARNALDO PASSOS)
· MARINGÁ(JOUBERT DE CARVALHO)
· MAS, QUE NADA (JORGE BEN)
· O BÊBADO E A EQUILIBRISTA(ALDIR BLANC/ JOÃO BOSCO)
· OLÊ, OLÁ (CHICO BUARQUE DE HOLLANDA)
· QUANDO O AMOR ACONTECE (JOÃO BOSCO E ABEL SILVA)
· ROSA MORENA(DORIVAL CAYMMI)
· NA BAIXA DO SAPATEIRO(ARI BARROSO)
· SAMBA EM PAZ(CAETANO VELOSO)
· SABIÁ (TOM JOBIM/CHICO BUARQUE)
· SAMPA(CAETANO VELOSO)
· SAUDADE DA BAHIA(DORIVAL CAYMMI)
· SAUDOSA MALOCA (ADONIRAN BARBOSA)
· SE VOCÊ JURAR(ISMAEL SILVA/N.BASTOS/CHICO ALVES)
· TRAVESSIA(FERNANDO. BRANT / M. NASCIMENTO)
· TREM DAS ONZE(ADONIRAN BARBOSA)
· VEM MORENA(LUIZ GONZAGA / ZÉ DANTAS)

Bené Chaves

por benechaves às 15:29